Prefeitura esclarece sobre mudanças no calendário nacional de vacinação


Readequação acontece em cumprimento à determinação do Ministério da Saúde; diversos investimentos em imunização foram realizados em Muriaé

Em cumprimento às orientações do Ministério da Saúde, Muriaé fez uma readequação no calendário de vacinação. As mudanças, segundo o Ministério, acontecem para garantir uma melhor cobertura vacinal dos públicos.

Houve alterações na aplicação das vacinas poliomielite, febre amarela, pentavalente e DTP – algumas delas, inclusive, estão sendo aplicadas de forma escalonada na cidade para evitar o desperdício.

Em razão da enchente que ocorreu na cidade, a Secretaria Municipal de Saúde também está vacinando com a hepatite A pessoas que tiveram contato com a água das cheias.

Vale frisar que toda a distribuição das doses do calendário nacional de vacinação é de responsabilidade exclusiva do Ministério da Saúde.

Confira abaixo as alterações do calendário vacinal:
– Pentavalente e DTP: a irregularidade no repasse está fazendo com que a pentavalente e as doses de reforço sejam racionadas na cidade. Aplicada aos 2, 4 e 6 meses, a vacina previne difteria, tétano, coqueluche, hepatite B, otites, bronquites e alguns tipos de meningites.

O município fez alteração para priorizar a primeira dose da pentavalente para quem não tomou nenhuma dose da vacina e a da DTP mais hepatite B para as demais doses em menores 1 ano.

Como foram regularizadas as aplicações da pentavalente em crianças de 2 meses, as doses remanescentes serão liberadas a partir da próxima segunda-feira (10) para as outras crianças que já possuem a penta no cartão.

Desta forma, o reforço da DTP está sendo antecipado. O mesmo deve ser feito em crianças de 15 meses até menores de 1 ano. A pentavalente será obrigatoriamente feita como reforço no lugar da DTP, sendo que deve ser realizado apenas um esquema de DTP mais hepatite B em crianças menores de 1 ano.

Esse procedimento acontece até a normalização do envio das doses pelo MS. A Secretaria de Saúde de Muriaé frisa que a criança não será prejudicada, visto que a dose será aplicada futuramente.

O Ministério da Saúde informou que está repondo as doses gradativamente, para que o esquema de vacinação das crianças seja normalizado.

– Poliomielite: devido à redução da distribuição da vacina pela Gerência Regional de Saúde (GRS) de Ubá, a imunização contra a poliomielite (paralisia infantil) foi centralizada em dois postos: a UBS São Francisco e a UBS Barra I. As doses estão sendo aplicadas de segunda a sexta-feira, das 8h às 16h30min. Na área rural, a aplicação do imunizante acontece toda primeira segunda-feira do mês.

A medida evita o desperdício e previne futura escassez da vacina, haja vista que cada frasco possui 25 doses e, após aberto, a duração é de cinco dias.

– Febre amarela: com a intenção de ampliar a cobertura vacinal, o Ministério da Saúde expandiu a imunização contra a febre amarela. Além de ser aplicada aos 9 meses, a vacina ganhou um reforço em crianças a partir dos 4 anos. Adultos ou crianças que já foram vacinados antes dos 5 anos e que possuem apenas um dose têm direito a uma dose de reforço. Já quem tomou a vacina após os 5 anos é considerado imunizado contra a doença e, portanto, não precisa de reforço.

A vacina pode ser realizada até 59 anos, de acordo com o Programa Nacional de Imunização. A partir de 60 anos, a vacinação deve ser feita somente com prescrição médica, devido ao aumento de eventos adversos em pessoas desta idade.

A ampliação ocorre após estudos e novos casos da versão silvestre da doença – e pelo medo de a forma urbana voltar a circular.

A aplicação da febre amarela e da triviral (ambas são aplicadas juntas) está sendo feita de forma escalonada, com dias marcados, a fim de se evitar o desperdício, visto que a triviral e febre amarela duram oito horas e seis horas após abertas, respectivamente. Confira abaixo a escala de vacinação:

– Segunda-feira: Santana, Aeroporto, Santa Terezinha, Dornelas, Belisário e Marambaia;
– Terça-feira: Gaspar, Joanópolis, Santo Antônio, Policlínica Safira e Boa Família;
– Quarta-feira: São Pedro, São Francisco, Porto e José Cirilo;
– Quinta-feira: São Gotardo, Inconfidência, Barra II, Bom Jesus e Vermelho;
– Sexta-feira: Barra I, Planalto, São Cristóvão, Cardoso de Melo, Itamuri, Primavera e Patrimônio São José.

– Vacinação hepatite A: a Secretaria de Saúde está vacinando contra a hepatite A pessoas que tiveram contato com a água da enchente. O Ministério da Saúde liberou em torno de 3 mil doses para Muriaé.

A imunização tem como público-alvo somente pessoas que tiveram contato com a água contaminada das cheias, inclusive servidores da Prefeitura que prestaram assistência às vítimas.

Investimentos em imunização – Constantes investimentos na vacinação estão sendo implementados para proteger as crianças contra doenças e garantir melhor cobertura vacinal.

Em 2018, a Prefeitura inaugurou a Sala de Vacinação no Hospital São Paulo para atender os recém-nascidos. No espaço são disponibilizadas as vacinas BCG e hepatite B para os bebês nas primeiras horas de vida – para os bebês nascidos no HSP.

Para crianças que nascem fora do Hospital São Paulo (outro município ou outro hospital de Muriaé), os pais devem entrar em contato com a Central de Vacina pelo telefone (32) 3696-3435, para agendamento de data e horário.

Outra conquista é a parceria entre as secretarias Municipais de Saúde e Educação, Ministério Público e Conselho Tutelar. Esta iniciativa estabelece que crianças e adolescentes estejam com o cartão de vacina em dia para terem a matrícula na escola efetivada. O objetivo é resgatar este público que está com a vacinação em atraso. A declaração a ser apresentada no ato da matrícula é emitida nas unidades de saúde.

Recentemente, mais um investimento foi feito. A Prefeitura, por meio da Secretaria de Saúde, adquiriu três caixas apropriadas para a conservação de vacinas. Esses itens podem ser usados em caso de alagamentos e enchentes, por exemplo.

Além de proteger contra inúmeras doenças, ser imunizado é um direito da criança e do adolescente previsto em lei.