Secretário de Estado de Saúde reforça necessidade do isolamento e distanciamento social


Segundo Carlos Eduardo Amaral, momento é o “divisor de águas” no controle da pandemia no estado

Ao apresentar os dados do boletim epidemiológico da covid-19 em Minas nesta sexta-feira (19), o secretário Estadual de Saúde, Carlos Eduardo Amaral, manifestou, mais uma vez, a preocupação com a pandemia no estado e reforçou a importância das medidas para a contenção da doença, entre elas, a necessidade do isolamento e distanciamento social.

Carlos Eduardo Amaral, secretário Estadual de Saúde/Foto: Gil Leonardi

O secretário avalia que este momento é o “divisor de águas” no controle da pandemia em Minas e que todo cidadão deve reavaliar seu comportamento. “Se possível, as pessoas devem começar a retornar às suas casas, diminuir a mobilidade e, além disso, ficar atentas às medidas de distanciamento e proteção social. Estamos começando a subir a curva. O número de casos tem aumentado, a demanda por leitos tem aumentado, os óbitos têm aumentado. Se tivermos uma adesão grande, nós teremos capacidade assistencial e controle da epidemia”, salienta.

Ainda de acordo com a análise de Carlos Eduardo, as medidas tomadas agora terão resultados somente após 15 dias. “Isso quer dizer que, se hoje tivermos uma adesão grande da sociedade mineira ao isolamento, nós ainda teremos uma tendência desta curva aumentar por 15 dias. Se essa adesão não acontecer e deixarmos para tomar medidas daqui a 15 dias, os resultados só serão daqui a 30 dias. Por isso, convoco a todos para abolir qualquer festa e reunião com mais pessoas e pensem seriamente se é preciso sair de casa e venha”, explica.

Ainda segundo ele, é importante ficar atento à higiene, como lavar as mãos, usar máscara e álcool em gel, por exemplo. “Nós precisamos usar as máscaras, lavar mãos, tomar cuidado para não levar as mãos ao rosto, usar álcool em gel, ou seja, isso é que vai trazer, efetivamente, um controle da nossa epidemia e que vai preservar vidas no estado de Minas Gerais”, reforça.